RESPEITE O SEU INSIGHT

 

Em muitas fontes encontramos o sentido de Insight, como:
1 – Compreensão repentina de algo; intuição súbita.
2 – Psicologia – Descoberta repentina da compreensão de um problema.
3 – Psicologia – De acordo com o Gestaltismo, termo que designa a aprendizagem intuitiva, por oposição à aprendizagem que se baseia em experiências anteriores
(Do inglês “Insight” <<perspicácia, intuição, capacidade de penetração intelectual>>)

De modo simples e direto, é uma ideia que surge repentinamente a fim de solucionar algo que te inquieta; é aquele pensamento que sai “do nada” e resolve uma questão que em algum momento de sua vida te apareceu e parecia até mesmo sem solução.

Daí, quanto a respeitar um Insight, eu chamo de Exercício do Potencial Criativo.

Experimentar essas ideias repentinas, as quais muitas vezes parecem ser “malucas”, te possibilita a criação de ferramentas que te darão potencial para solucionar futuras questões e desafios.

A exemplo disso, vou contar uma curta história pessoal de um desses meus Insights.

UMA HISTÓRIA COMIGO

Certa noite, após um dia corrido e cansativo, decidi deitar e dormir cedo. Coisa raríssima de acontecer, considerando que tenho meu pico de atividade durante a noite e a madrugada.INCENSO

Para que isso acontecesse de forma mais tranquila, sem ficar “fritando na cama” até que o sono chegasse forçadamente, eu fiz toda uma “cerimônia do sono”. Coloquei a Tv a cabo em um canal de música New Age (essas de meditação), e, bem ao lado dessa Tv, acendi e deixei um incenso pra completar esse meu “momento zen”.

Tudo pronto, deitei-me confortavelmente, na maior calma tentando não pensar em nada para que o sono viesse e eu pudesse dormir cedo (acreditem, dormir cedo pra mim é um esforço hercúleo porque minha cabeça fica a mil em pensamentos).

Então, já deitado, decidi dar uma “última olhadinha” na Tv. Nesse momento eu vi o efeito interessante que a luz da televisão fazia sobre a fumaça do incenso. Não deu outra… a ideia de dormir cedo foi pro espaço e dei um pulo da cama feito um louco. Corri pra sala e pus em prática a ideia de fazer fotos de fumaça usando tudo que percebi naquela cena. Estudei, na prática, como aquilo foi possível e através de tentativas e erros consegui esse efeito que aparece nas imagens ao lado.

Como eu percebi que somente a luz da Tv não seria suficiente para iluminar a fumaça para uma foto, decidi colocar a luz principal abaixo do incenso – uma luz forte apontada debaixo pra cima -, mantendo a luz da televisão na lateral da fumaça para dar o efeito de cor azulada (lembrando que a tv estava em um canal de música, com imagem parada).

Duas horas depois, aí sim, fui dormir tranquilo e feliz com um dia completo.

Tempos depois desse ocorrido, precisei fazer uma foto com efeito de fumaça em um ambiente um pouco mais complexo, mas esse experimento primário me ajudou em mais de 70% na solução da cena.

Ou seja, respeitei meu Insight, sem preguiça ou procrastinação e no final me dei bem com isso.

No próximo artigo postarei um exemplo de aplicação dessa experiência, em uma cena completa.

Espero ter ajudado a tod@s em suas inquietações.

Boas Fotos e até o próximo artigo.